Acusado de roubo, homem registra queixa por calúnia e difamação nas redes sociais

0
341

Post com foto do homem e informação de que ele seria um ladrão circulou amplamente nas redes sociais

Ruan César Belmiro, de 26 anos, proprietário de uma lanchonete em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, registrou um boletim de ocorrência na 64ª DP, na última segunda-feira  (30/10), para se defender de acusações de roubo que circulam nas redes sociais.

O morador de Vilar dos Teles afirma ser vítima de calúnia e difamação desde a última sexta-feira, quando começou a ver publicações no Facebook, com seu nome e foto, que afirmavam que ele teria roubado o celular de uma mulher. De acordo com ele, a notícia teria sido publicada em pelo menos três páginas na rede social, sendo que duas são associadas à região de Bangu e outra ao bairro de Realengo. Algumas já excluíram o post, a pedido dele, mas devido ao número significativo de compartilhamentos ele ainda teme por sua segurança.

No post que circulou na web, a mensagem diz “Telefone da minha irmã foi roubado e essa pessoa está usando o número de telefone dela, favor quem puder compartilhar e souber quem é essa pessoa nos informar”.

Belmiro afirma ter tido conhecimento da situação quando dois dias depois de comprar um chip para o seu celular, em setembro, começou a receber ligações no nome de uma mulher, inclusive de cobranças. Depois, ele foi procurado pela própria e também por parentes dela dizendo que o celular havia sido roubado, também em setembro, e que ela não havia bloqueado o chip.

Segundo ele, mesmo com as explicações de que comprou o chip em uma loja e habilitou para o seu CPF na operadora Vivo, a irmã daquela mulher espalhou a notícia nas redes sociais.

Além de fazer o boletim de ocorrências, Belmiro afirma que já está em contato com a operadora para solucionar o caso e que recorrerá à Justiça para limpar sua imagem.

– Eu liguei para a Vivo pra eles me esclarecem. O telefone dela tem o mesmo número que o meu. Ela foi roubada em setembro. E, em setembro, eu comprei o chip. Eles abriram um protocolo para atendimento – contou.

 

Boletim de ocorrência/ Reprodução

Lições para usuários das redes sociais

Nas redes sociais, a velocidade do compartilhamento por vezes é muito mais rápida do que a checagem de informação. Assim, é possível que, mesmo sem querer, você esteja divulgando um informação falsa e ajudando a prejudicar alguém. Por isso, jamais compartilhe fotos ou dados pessoais de uma pessoa, caso não tenha certeza da informação. Se acontecer, não deixe de publicar uma errata, explicando o equivoco para, ao menos, minimizar o dano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui