in

Antonia Fontenelle vence processo na Justiça e deve receber parte da herança de Marcos Paulo

Venceu! Antonia Fontenelle venceu, em última instância, o processo que envolvia a herança de seu falecido marido Marcos Paulo, morto no ano de 2012.

De acordo com a coluna do jornalista Léo Dias, do O Dia, Antonia deverá receber parte dos bens de uma herança estimada em R$ 30 milhões. A decisão saiu nesta quarta-feira (2) e não cabe mais recurso.

Nas redes sociais a apresentadora do canal “Na Lata”, comemorou:

A cada vitoria é assim que eu lhe vejo: sorrindo. Obrigada por me honrar. Justiça feita!

O processo corria há cinco ano na Justiça, e a partir da decisão, Fontenelle deverá repartir a herança com as 3 filhas do diretor (Vanessa, filha da modelo Tina Serina; Mariana, da relação com a atriz Renata Sorrah; Giulia, que ele teve com a atriz Flávia Alessandra).

Em uma declaração escrita, Antonia relatou algumas coisas envolvendo o advogado e inventariante João Paulo Lins e Silva, e abordou a intenção de Marcos Paulo em deixar para ela 60% de seus bens: Leia!

“Como herdeira do Marcos Paulo eu exijo que o inventariante, Sr Joao Paulo Lins e Silva, cumpra a decisão judicial que me reconheceu como herdeira e que não cabe mais recurso. Ele até hoje não reapresentou as primeiras declarações de meu ex-marido. O inventariante é responsável por fazer o processo andar. Meus advogados, inclusive, há meses pediram para ele prestar informações no processo da administração dos bens do espólio e até agora nada foi feito. Assim como eu, Vanessa, filha mais velha do Marcos, também pediu a prestação de contas e, mais uma vez, nada foi feito. O inventariante só se manifesta no processo quando o juiz determina. Se ele fosse mais atuante a situação estaria bem avançada. A responsabilidade legal pela boa e rápida condução do processo é do inventariante, assim como a obrigação de ser imparcial: ele não pode distribuir notas à imprensa dizendo que estou atrapalhando o inventário e que eu posso nao ter direito a nada, até porque ele, melhor do que ninguem, sabe qual era a verdadeira vontade do Marcos Paulo. Enquanto vivo, Marcos o instruiu numa carta escrita a próprio punho, na qual ele me beneficiava. Eu me pergunto: o que pode ter acontecido pra ele vir a imprensa fazer tais declarações descabidas? O Sr Joao Paulo Lins e Silva deveria saber que este é um direito meu. Sr Joao Paulo, cumpra com a sua obrigação de fazer o processo andar e por gentileza preste contas no processo sobre a venda do apartamento de Nova York (que não está no espólio nacional), prestação essa que meus advogados já solicitaram e até agora nada foi feito. Lembre-se, sr João Paulo, quem decide quais bens eu tenho direito é o Poder Judiciário e não o senhor como inventariante, cuja única função seria fazer o processo andar direito e rápido. Sem mais.”

Conheça o ‘Sarahah’, o app que virou febre entre os brasileiros

Consultor de Pré-Vendas (Palo Alto) – 1 Vaga RJ