in ,

Suspeito de dirigir van em atentado na Espanha teria 17 anos

Driss Oukabir/ Policia Nacional da Espanha

Um dia após o atentado terrorista que deixou cerca de 13 mortos e mais de cem feridos em Barcelona, a polícia catalã busca um suspeito de 17 anos

O suspeito de ter atropelado dezenas de pedestres em Ramblas, um dos principais pontos turísticos em Barcelona, Espanha, foi identificado como Moussa Oukabir, de 17 anos. Moussa é irmão de Driss Oukabir, 28, outro suspeito. Driss foi detido ontem (17/08), junto com outras duas pessoas, mas não está claro qual foi sua participação no ataque. Seus documentos foram encontrados na van e teriam sido utilizados para alugá-la, mas ele alega que eles foram roubados. Uma quarta pessoa foi presa nesta sexta. Segundo a polícia, três dos detidos são de nacionalidade marroquina e um é espanhol, porém nenhum deles possui antecedentes criminais ligados à práticas terroristas.

Estado Islâmico pode estar envolvido

As autoridades espanholas trabalham com a hipótese de que o atentado teria sido planejado por uma célula terrorista formada por 12 pessoas. Eles estariam ligados também à tentativa de ataque em Cambrils, a 117 km de Barcelona, onde a polícia matou cinco suspeitos, poucas horas após um atropelamento. Uma vítima morreu no atentado e seis ficaram feridas. Os suspeitos vestiam cinturões explosivos falsos, uma tática usada para distrair os agentes de segurança. Com a morte desses cinco terroristas e com a detenção de outros quatro, ainda restam três integrantes da célula às soltas, incluindo Moussa Oukabir. Os irmãos Oukabir vivem em Ripoll, na região catalã de Girona, no nordeste. Foram realizadas oito buscas na cidade, incluindo a residência de Driss Oukabir. As informações são do jornal espanhol “El País”.

O Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado, mas, por enquanto, não há evidências concretas de sua participação direta. No entanto, em uma edição de sua revista “Rumiyah”, a organização terrorista sugeria que seus militantes utilizassem veículos como arma contra os “infiéis”. O material está disponível até hoje na internet. Foi essa a tática empregada em dois dos mais graves atentados de 2016. Em julho, um caminhão deixou 86 mortos em Nice, na França e, em dezembro, foram 12 mortes em Berlim. Já em 2017, terroristas utilizaram automóveis em três atentados diferentes em Londres.

Alguns feridos estão em estado grave

No atendado desta quinta-feira (17/08), mais de cem pessoas ficaram feridas, 15 delas em estado grave. Devido o grande número de turistas na região, há entre as vítimas do ataque cidadãos franceses, australianos, holandeses e gregos, entre outros. Não há notícias de brasileiros mortos ou feridos.

 

 

 

Sorvete caseiro de gelatina – Sobremesa super fácil de fazer

Vídeo mostra van pouco antes do ataque terrorista em Barcelona