in , ,

Forças Armadas voltam a agir na Rocinha, no Rio de Janeiro

Reprodução

Seiscentos homens das Forças Armadas atuam na região

As Forças Armadas retornaram à comunidade da Rocinha, na Zona Sul do Rio de Janeiro, no início da manhã desta quarta-feira (11/10). Ontem, os agentes realizaram uma ação de varredura na comunidade, mas deixaram o local no fim do dia. O objetivo é que a ação desta quarta também não seja de permanência, mas de apenas um dia.

De acordo com o Comando Militar do Leste, a operação desta quarta é um desdobramento da operação realizada na terça, quando a ação dos militares se concentrou do lado do bairro da Gávea. Nesta quarta, no entanto, a ação vai se concentrar do lado de São Conrado. Seiscentos homens das forças armadas estão na comunidade e o espaço aéreo tem restrições. As tropas dão apoio à Polícia Militar na busca de armas, drogas e criminosos nas áreas de mata da Rocinha.

“Não é uma operação de cerco como as demais. Ela é um apoio técnico no sentido de realização de operações de varredura. É um trabalho que emprega detectores de metais e pólvora para detectar materiais que estejam escondidos”, explicou o porta-voz do Comando Militar do Leste, coronel Roberto Itamar. No total, 1.100 homens atuam na favela, sendo 550 homens das forças armadas (Fuzileiros Navais, Exército e Força Aérea Brasileira) e 550 da Polícia Militar.

Mulher do traficante Nem é presa

A mulher do traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem, foi presa nesta terça. Danúbia Rangel estava escondida na casa de uma amiga no Morro do Dendê, na Ilha do Governador. Ela foi condenada a 28 anos de prisão por tráfico de drogas, associação criminosa e corrupção ativa. Segundo agentes que efetuaram a prisão, Danúbia não quis dar muitas declarações. Disse apenas que que tem poucas informações do marido, já que não podia visitá-lo por estar foragida, e que não sabe praticamente nada da guerra da Rocinha.

A criminosa foi expulsa da Rocinha pelo bando de Rogério 157, rival do grupo de Nem na disputa pelo tráfico na comunidade. A batalha sangrenta, intensificada há semanas, levou à realização de operações de segurança quase diárias, inclusive com o reforço das forças militares – nesta terça, houve novos tiroteios. Segundo investigações, mesmo expulsa pela quadrilha rival, Danúbia ainda tem influência na Rocinha.

Madrasta condenada pela morte de Isabella Nardoni deixa presídio em saída temporária de Dia das Crianças

Neymar realiza sonho de fã com doença rara