in

Quando foi tirada esta foto? Artista brasileira ganha notoriedade colorindo imagens antigas

Artista brasileira é especialista em colorir fotos históricas

A artista mineira Marina Amaral se especializou em colorir digitalmente fotos em preto e branco. Por meio do software Photoshop, ela devolve a cor a registros históricos.

“Acho que as fotos em preto e branco acabam distanciando as pessoas. O evento registrado parece quase irreal. Cores quebram essa barreira e nos aproximam dessa realidade”, diz Marina, que começou a colorir fotos casualmente e acabou fazendo do hobbie sua profissão.

Marina começou a divulgar seus trabalhos em fóruns e redes sociais. Depois, passou a receber encomendas para trabalhar em álbuns de família e pedidos de museus e empresas. A demanda cresceu tanto que ela decidiu largar a faculdade de Relações Públicas.

“Estava ficando sem tempo para os estudos”, explica ela. “Colorir um retrato leva uma hora, mas imagens complexas podem levar meses para ficarem prontas.”

Foi pelo Twitter que Daniel Jones, historiador e apresentador do canal britânico Channel 5, conheceu Marina.

“Amei seu trabalho de cara, compartilhei em meu perfil algumas vezes e passamos a trocar mensagens”, conta Jones, que convidou Marina para um projeto em conjunto.

Para o historiador, ela se destaca entre outros artistas do gênero por “sua pesquisa rigorosa”, algo também destacado com frequência por publicações de peso, como a revista americana Wired – que a chamou de “mestre da colorização” – e o jornal britânico Daily Mail, que publicaram reportagens sobre a arte de Marina.

Antes de colorir uma imagem, Marina busca documentos e referências que indiquem os tons originais da pessoa ou cena fotografada. Confira alguns de seus trabalhos:

Prisioneiros são libertados do campo de concentração de Wöbbelin, em abril de 1945

Marthin Luther King Jr. marcha por direitos civis para negros em Washington, nos EUA, em 1963

Desempregados se reúnem nas ruas de San Francisco, nos EUA

Médicos americanos auxiliam soldados feridos em praia da Normandia, na França, durante a 2ª Guerra Mundial

Retrato do piloto C. Hopson, do serviço postal americano, feito em 1926

Região conhecida como Banana Docks, no píer de Nova York, no início do século 20

Escola para negros em Anthoston, no Estado de Kentucky (EUA), em 1916

Meninos franceses diante de tanque alemão após derrota de nazistas na França

Retrato de Lewis Powell, que tentou matar o secretário de Estado americano William H. Seward, em 1865

Para Jones, as fotos de Marina “são a maneira perfeita de fazer as pessoas se interessarem por história na internet”, porque “nos fazem ter empatia pelo que é retratado de uma forma que a foto em preto e branco não permite em um mundo saturado de cores como o nosso”.

Strange Things: Episódio de segunda temporada será exibido no SBT

Temer passa mal e é hospitalizado – Presidente deve ter alta ainda hoje, informa Planalto