Em O Outro Lado do Paraíso, namorado de Samuel provoca sogra: “Se faz de vítima”

0
2335
Rede Globo/ Divulgação

Cido vai trocar farpas com mãe de Samuel

Cido (Rafael Zulu) vai implicar com Adnéia (Ana Lucia Torre) na novela “O Outro Lado do Paraíso”, depois de se mudar para a casa de Samuel (Eriberto Leão). Com a chegada de Suzy (Ellen Rocche), grávida do médico com quem foi casada, a nova família vai protagonizar cenas cômicas na trama das nove e os moradores do apartamento da idosa vão trocar farpas e indiretas o tempo inteiro.

As primeiras alfinetadas vão acontecer logo que Adnéia recepcionar Cido – a essa altura, o motorista já terá se demitido da casa de Sophia (Marieta Severo ), passado a prestar serviços para o psiquiatra e terminado o noivado com Irene (Luciana Fernandes).

“Eu cozinho muito, vai gostar, rapaz. Lavo as roupas, passo. Se o Samuel quiser continuar usando calcinhas, eu me sacrifico. Lavo as calcinhas”, se oferece a idosa.

“Mãezinha, as calcinhas foram uma fase. Agora eu quero ter uma relação estável”, diz o médico desmascarado por Clara (Bianca Bin).

“Tem mais essa. Mãe de bicha e filho bicha são que nem unha e carne. Não se separam”, provoca o Cido.

Pouco tempo depois, a enfermeira pede abrigo no apartamento do ex-marido e novas farpas voltam a acontecer na frente da gestante. Questionado pela loira, Cido explica o motivo de estar na casa do namorado:

“Larguei meu emprego e saí da minha casa. Rompi com minha noiva. Vim morar com o Samuel”. Suzy fica espantada com a notícia e indaga Adnéia: “Como a senhora permitiu uma pouca vergonha desse tamanho?”

“Eu me sacrifiquei”, lamenta a idosa, deixando o motorista irritado.

“Demorou. Mãe de bicha sempre faz a vítima”, zomba Cido. A aposentada, então, afirma que preferiu aceitar a sexualidade do filho e diz que “coração de mãe é coração de mãe”, mas o genro volta a provocá-la: “Coração de mãe de bicha é maior que espigão de apartamento. Cabe tudo”.

Irritado com a discussão em tom de provocação, Samuel faz todos prometerem que irão conviver em paz dentro da casa.

“Chega. Ninguém aqui está discutindo minha sexualidade. Eu não sou bicha. Sou gay. Quer morar aqui, enfermeira Suzana? Então modere seu linguajar. Eu também quero esse filho. Ficará em nosso antigo quarto de casal. Será tratada como uma rainha. Mamãe cozinhará para você. Mas faça o possível para vivermos em harmonia”, diz o médico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui