in

Mulher reencontra amigo de infância vivendo nas ruas e ajuda a mudar a vida dele

Separados na vida adulta, mulher reencontrou amigo e decidiu transformar a vida dele

Homem havia se viciado em drogas e vivia nas ruas

É comum que amigos de infância acabem se distanciando na vida adulta, pois tomam rumos diferentes. Mas, isso não necessariamente significa o fim da amizade. Prova disso é a bela história dos quenianos Wanja Mwaura e Patrick Hinga, que estudaram juntos quando criança mas perderam o contato na vida adulta.

Drogas

Patrick começou cedo a usar entorpecentes, ainda na escola, quando foi expulso por fumar maconha. Sua mãe tentou ajudá-lo a se livrar do vício através de tratamento médico, mas ele sempre acabava fugindo do hospital psiquiátrico onde foi internado.

“Ele reclamava muito e dizia que tudo que os médicos faziam era lhe dar remédios e tratá-lo como um doente mental, por isso ele fugia. Mas quando saia do hospital, ele andava pela vizinhança pelado ou mexia no lixo”, contou Nancy, a mãe de Patrick.

Durante sua internação, ele acabou se viciando em um medicamento chamado Attain. “Não se deve usá-lo todos os dias, mas como ele ficava alterado, acabou se viciando”, completa a mãe, que afirma que o filho conseguia receitas falsas para adquirir os comprimidos.

Nas ruas

Ele acabou fugindo de vez e foi parar nas ruas de Nairóbi, consumindo ainda mais drogas. Foi então que um dia ele reencontrou a antiga amiga Wanja e contou à ela sobre sua vontade de se recuperar e começar uma nova vida.

A moça não hesitou e o ajudou a encontrar uma clínica de reabilitação, além de arrecadar doações para seu tratamento através das redes sociais. Além disso, Wanja ainda ajudou Patrick a abrir seu próprio negócio durante a recuperação, uma loja chamada Hinga’s Store.

A transformação pela qual passou é de impressionar: “Sinto que sou um novo homem. Rezo diariamente, pedindo a Deus que me salve e para que eu não seja puxado de volta para a vida das drogas”, afirmou Patrick.

Fonte: Yahoo!

Erro ou apelação? afiliada da Globo mostra cadáver em telejornal

Racista, Nádia vai passar a cuidar do neto negro