in

7 Histórias impressionantes de pessoas salvas pelo Facebook

Descubra as surpreendentes histórias de pessoas que foram salvas pela rede social

Conheça as incríveis histórias de 7 pessoas que foram salvas pela rede social

Por conta de problemas como superexposição, assédio, bully virtual, entre outros, as redes sociais acabam sendo vista como negativas por muita gente, mas a verdade é que, quando bem utilizadas, essas ferramentas podem ser, não apenas úteis, mas vitais. O Facebook, por exemplo, já ajudou a salvar muitas vidas ao redor do mundo. Dúvida? Confira essas 7 histórias:

1. Rylee Taylor

 

Rylee Taylor tinha 3 anos quando sua mãe, Tara Taylor publicou uma foto sua no Facebook, em 2014, o que acabou resultando em uma descoberta incrível. A foto mostrou uma diferença no olho da garota, algo que muitos associaram ao reflexo. Ainda assim, dois amigos de Tara lhe enviaram mensagens apresentando suas preocupações, já que acreditavam que aquilo poderia ser algo a mais.

Preocupada e incentivada pelos amigos, Tara levou Rylee ao pediatra. Ele a encaminhou para um especialista em retina, e foi lá que descobriram que a garota tinha uma rara doença, conhecida como “doença de Coats“. Quando não identificado a tempo, a doença pode causar a perda parcial ou completa da visão. A maior dificuldade de se identificar o problema em crianças é que, na maioria das vezes, elas não percebem que estão perdendo a visão, até que seja tarde. Graças à foto Rylee pode ser tratada a tempo.

Fonte: Dailymail

2. Lois Shelton

No dia 26 de fevereiro de 2015, uma mulher de 75 anos, Lois Shelton, acabou caindo em sua cozinha, depois de tropeçar em alguns degraus. Ela não conseguia se levantar e seu celular não estava por perto. Por sorte, seu computador estava próximo e, coincidentemente logado no Facebook. Ela se arrastou até ele e puxou o teclado até o chão para redigir uma mensagem.

A publicação feita por ela, pedindo ajuda, logo gerou comentários e se espalhou. A nora da mulher acabou vendo a mensagem e entrou em contato com os seus vizinhos. Assim que eles chegaram na casa, encontraram Lois caída no chão e chamaram ajuda. Depois que a emergência chegou, ela foi levada para o hospital com hematomas sérios. Quando se recuperou, Lois fez uma nova publicação afirmando que o Facebook a salvou.

Fonte: Komando

3. Garoto de Oxfordshire

Amigos nas redes sociais, mesmo que você não os conheça pessoalmente, podem sim ser verdadeiros. Em 2009, um jovem de 16 anos pretendia se suicidar. O estudante de Oxfordshire, na Inglaterra, relatou o desejo para um amigo no Facebook. O amigo, que morava em Maryland, a 4.800 quilômetros de distância, ficou preocupado e contactou a mãe do adolescente.

Depois de ser informada, a mãe, ao procurar pelo filho, não o encontrou. Ela então ligou para a polícia. As autoridades fizeram uma busca na região e encontraram o garoto em uma casa, inconsciente depois de uma overdose de drogas. Ele foi enviado para o hospital e acabou conseguindo se recuperar.

Fonte: Telegraph

4. Rick Fosnot

Depois de descobrir que tinha uma doença renal, Rick Fosnot acabou tendo que remover os rins e precisou fazer diálise. A espera por um transplante poderia durar cerca de 6 anos e Rick não sabia de conseguiria sobreviver até lá.

O problema enfrentado por ele foi postado em sua rede social e acabou chamando a atenção de Janine Pape-Sansom. Quando tinha apenas 10 anos, a mulher frequentava uma piscina comunitária na qual Rick era salva-vidas. Ela acabou fazendo o teste, para ver se era compatível, e o resultado foi positivo. Mesmo não tendo contato com Rick a mais de 20 anos, ela decidiu doar um de seus rins para ele. A cirurgia foi um sucesso.

Fonte: NBC

5. Gregory Vance

No dia 10 de junho de 2014, uma tempestade causou estragos em Henlawson, na Virgínia Ocidental. Gregory Vance e mais dois amigos estavam sentados na varanda quando um raio atingiu uma árvore, que caiu sobre eles, prendendo os três.

No interior da casa, se encontravam a namorada de Gregory e duas crianças. Eles chamavam desesperadamente pelos homens, mas eles não respondiam. Com a tempestade, o sinal dos celulares da família havia caído, mas a filha de Gregory, Brianne, conseguiu usar o Wi-Fi da casa e postou um vídeo no Facebook pedindo ajuda.  Alguém que viu a postagem, ligou para a emergência. Os três homens foram resgatados e levados para o hospital, ficando bem.

Fonte: Huffpost

6. Arianna Moore

A empatia, mesmo que por desconhecidos, pode salvar vidas. Em 2012, uma menina de apenas 7 semanas, chamada Arianna Moore, foi internada no estado de Minnesota, EUA, com uma febre alta. Depois de vários exames, os médicos descobriram que ela tinha uma doença rara nos rins. Ela foi colocada em diálise, mas precisava de um transplante.

Quando completou 2 anos, um familiar de Arianna contou sua história no Facebook e pediu para que as pessoas com sangue ‘tipo O’ considerassem a ideia de doar um rim para a menina. Uma desconhecida, chamada Christy Harding, viu a mensagem e decidiu tentar ajudar. Ela também é mãe de uma garotinha de 2 anos, assim como Arianna, e esse fato contribuiu com sua decisão. No dia 18 de junho de 2014 as duas passaram pela cirurgia e o transplante obteve sucesso.

Fonte: Dailymail

7. Victoria Boisclair

Victoria com os pais e suas salvadoras

No dia 26 de maio de 2014, Melissa McMahon deu luz a sua filha Victoria Boisclair em um hospital de Trois-Rivieres, no Canadá. O problema é que, pouco tempo depois, uma mulher vestida de enfermeira entrou no hospital e sequestrou o bebê. Algumas pessoas relataram ver a mulher colocá-la dentro de um carro com um adesivo escrito “Baby on Board” (Bebê a bordo).

A notícia foi divulgada nas redes sociais e quatro jovens decidiram dirigir pela cidade, procurando pela criança. Mélizanne Bergeron, Sharelle Bergeron, Charlène Plante e Marc‑André Côté estavam em busca de um carro com o adesivo mencionado e continuaram acompanhando as notícias, quando foi divulgada a descrição da mulher. Uma das jovens identificou-a como sendo uma ex-vizinha. Eles foram até a casa da mulher e, assim que viram o carro adesivado, ligaram para a polícia. As autoridades invadiram a casa e conseguiram recuperar o bebê. Depois de cerca de 3 horas, Victoria voltou para os seus pais. Valerie Poulin-Collins confessou o crime e foi condenada por ele.

Fonte: Le Nouvelliste

Qual a diferença entre ter o primeiro filho e os outros?

13 Coisas que vão mudar por causa da Pabllo Vittar